08 dezembro 2009

Mais bônus e menos ônus


Uma coisa é certa no Figueirense: é preciso mudar urgente, independente de acertar a renovação de contrato ou não com a Figueirense Participações. Como todos sabem, é preciso dar um basta nesse festival de atitudes erradas e equivocadas que o Figueirense vem tomando desde 2008.
A proposta de renovação de contrado da Figueirense Participações apresentada na última semana pelo Conselho Deliberativo só não causou tanto espanto porque o nosso querido Tainha já havia antecipado em seu blog algumas clausulas do contrato.
Uma frase resume bem o que foi proposto: mais bônus e menos ônus. O Figueirense seria um balcão de negócios de futebol, onde se nada der certo, o maior prejudicado seria o próprio Figueirense. Desse jeito não dá. Se for para o contrato ser aprovado na íntegra, é preferível começarmos a caminhar sozinhos com os nossos próprios pés. Agora resta esperar a contraproposta que o conselho irá propor a PPP ainda nessa semana.
Penso que a decisão mais correta a ser tomada para o bem do Figueira, seria fazer os (vários)ajustes necessários no contrato e permanecer com a Figueirense Participações. Pelo que pude apurar não há um plano B, não existe uma outra alternativa eficaz de parcerias ou parceiros para tocar o barco. Como disse anteriormente, o Figueirense voltaria a caminhar sozinho, o que no meu ponto de vista, seria um retrocesso. O futebol competitivo, de resultados expressivos, de glórias e comquistas depende muito de empresários e grupos de empresas esportivas. Foi-se o tempo em que o presidente do clube montava um elenco "sozinho", só na conversa com o atleta e sem o auxílio ou intermédio de alguém.
Infelizmente, resta aguardar. Dia 10 teremos um posição oficial do que irá acontecer.

PS.: Demorei para escrever o post ( e até fiz de forma bem resumida) porque tives problemas com a internet e também com algumas pendências universitárias (leia-se provas). Com tudo funcionando e com mais calma, amanhã tem mais!

2 comentários:

Daniel disse...

O meu medo é que a proposta indecorosa da Figueirense Participações (FP) tenha sido motivada por isso que você falou: não existe um plano B para o clube. Com isso, qualquer negociação fica bem dificultada. Eles (a FP) estão com a faca e o queijo nas mãos. Sabem que o Figueirense vai ficar sem pai nem mãe se rejeitar a proposta, e que por isso terá que negociar a todo custo (ou seja, que o clube cederá mais do que provavelmente o faria em outra situação). Aceitar tal fato é inaceitável. Estamos perdendo o nosso clube!!!
Pra mim o Conselho deveria pura e simplesmente rejeitar a proposta, tentar a todo o custo formar um time para não cair para a C no brasileiro (esqueça o Catarinense) e, durante o ano, tentar achar uma parceira (de verdade) para que o clube volte a crescer. Será um período difícil, mas não vejo com bons olhos manter a parceria com esse tipo de gente. Sinceramente.

JBmartins disse...

Daniel, é isto mesmo, concordo com você "mas não vejo com bons olhos manter a parceria com esse tipo de gente. Sinceramente", mais estamos muito melhor que nos fins dos anos 90, hoje não temos divida, temos patrimônio, Centro treinamento, e boa categoria de base, já é um começo.