11 agosto 2009

Mais uma partida ridícula. A apatia parece ter tomado conta do modo de jogar da equipe. O Figueirense está se acovardando quando enfrenta seus adversários e a cada partida, vem perdendo não pela superioridade do oponente, perde única e exclusivamente para si mesmo.
Todos esperavm um 3-5-2. Contudo o que vimos foi um 4-3-2-1 Não fiquei convencido em nenhum momento que tinhamos alas. Por quê entrar com 3 volantes? Pelo que eu pude constatar, Carlinhos e Jeovânio vinham se dando bem nos combates e na marcação do meio campo. Não posso acreditar que Alê estava com a incubência de auxiliar Fernandes na armação das jogadas. Se tinha essa função, foi na melhor da hipóteses, um desastre. E o nosso camisa 10 sofreu com isso. Uma andorinha não faz verão. Douglas estava mais para um 2º volante que atacante. Sempre se posicionava distante da área. Foram inúmeras as vezes que o avante alvinegro foi buscar jogo na defesa. Se a bola não chegava em Douglas, imaginem no ilhado Rafael Coelho.
Sofremos mais uma vez com as invenções de Roberto Fernandes. Não consegui definir a posição de Edson. João Filipe como "lateral" foi aceitável, até pelas opções de banco e no elenco. Agora é inconcebível por Alê como armador. Ficou notório há muito tempo que o jogador não tem qualidade para isso. Quando a fase não é boa, nem o Wilson se salva. Depois de ter operado alguns milagres, o ídolo do Figueira tomou um gol bobo. Ossos do ofício. Ainda tem crédito
Um aspecto positivo pode ser dito nessa partida: Jeovânio estreiou bem. Só pecou em alguns lances, mas nada que uma sequência de jogos não resolva.
Sábado é contra o Duque de Caxias no Rio de Janeiro. Com todo respeito ao adversário, o Figueirense não pode pensar em empatar. Só a vitória interessa. É obrigação para as pretensões de subir para a Série A. Se não acontecer, a situação ficará complicada e "cabeças irão rolar". A começar pela do treinador.
CHEGA DE INVENÇÕES!

Um comentário:

SABALE disse...

muito bom seu blog