22 agosto 2009

Mudar é preciso...e pra ontem!

Após fazer um primeiro tempo razoável e um segundo tempo sofrível, o Figueirense deixa escapar mais uma oportunidade de ficar no G4 da Série B. Chega! Tá na hora de esmurrar a mesa! Como está não pode ficar! É preciso uma mudança total de comportamento em todas as áreas envolvidas com o projeto do acesso.

A diretoria não pode ficar de braços cruzados esperando a vontade de determinados jogadores decidirem se querem ou não jogar aqui. Entendo das dificuldades em encontrar atletas de qualidade, das dificuldades financeiras, da competitividade nas transferências com alguns clubes. Porém o mercado é vasto. Precisamos de reforços urgentemente. Não de jogadores para compor elenco. É preciso de jogadores no time titular. Um parceiro de ataque para Rafael Coelho. Douglas, Marcelo e Paulo Sérgio, por mais voluntariosos que sejam, não tem atualmente condições de serem titulares. Hoje ficou muito claro que é necessário mais um meia de criação. Vou continuar batendo nesta tecla: Fernandes e Vinícius Pacheco não são suficientes. É preciso de mais alguém para jogar na ausência dos dois, já que não adianta mais insistir com Jairo. Acredito que com vinda de mais um lateral direito, o Figueirense fecharia o ciclo de contratações emergenciais. Pela milésima vez volto a afirmar: Faltam apenas 3 boas contratações para embalarmos. Acredito também que está na hora de mudar o comando da equipe. Infelizmente com Roberto Fernandes não dá mais. Ele não consegue dar um padrão de jogo para o time. É bem verdade que na partida de sexta, foram 9 desfalques. Contudo, o treinador já teve várias oportunidades para arrumar o time e não fez, por teimosia e orgulho.

Se a atual comissão técnica ficar, é bom que repensem algumas decisões tomadas, seja na parte física ou na parte técnica. E pra ontem. O time não está correspondendo bem. É nessa hora que o dedo do treinador ou de sua equipe faz a diferença, é o famoso feeling.

Raça e vontade não faltam aos jogadores. Não vejo ninguém fazendo corpo mole ou sem comprometimento com o objetivo coletivo. O que está atrapalhando, e muito, é a parte psicológica dos atletas. Não me recordo de nenhum jogo da Série B até agora que o Figueirense saiu em desvantagem no placar e conseguiu reverter o quadro. Quando toma um gol, principamente em casa, o time do Figueirense fica desnorteado, desorientado, apavorado. A ansiedade aumenta a cada minuto, o nervosismo toma conta e se encarrega do resto. Portanto, penso que é importante que haja um trabalho psicológico com os atletas, principalmente com os mais jovem, que formam a espinha dorsal do elenco.

Em relação a torcida, não é justo e nem correto cobrar ou questionar as atitudes tomadas por ela até agora. Tirando as pichações que particularmente não aprovo, o torcedor vem fazendo seu papel: comparece ao jogos, canta o tempo todo, vibra, incentiva, apóia, xinga, questiona, vaia e protesta. E é com tudo isso que conseguiremos sair dessa fase terrível e dar a volta por cima. Não tenho dúvidas que essa torcida ajudará a colocar o Furacão do Estreito na elite do futebol novamente. Não podemos desacreditar. Precisamos aumetar a força que temos para sair dessa, canalizar todas as nossas energias para o nosso clube amado. Não sou exotérico ou adepto a qualquer filosofía alternativa. O que quero dizer é que esqueçamos do co-irmão. Alguns (nem todos) torcedores ficam incomodados pelo fato deles estarem numa fase boa, e esse tipo de comportamento acaba gerendo uma angústia desesperada de ver o Figueirense melhorar a todo custo. Não interessa se vão pra Tóquio, pro Carianos ou para os cafundós do Judas. O que fazem ou deixam de fazer é insignificante, sem valor nenhum. Temos que concentrar nosso foco no Figueira. Não precisamos provar nada para ninguém. Sabemos o quanto somos grandes e o quanto somos fortes. Não há ninguém superior ao Figueirense em Santa Catarina. Não sou eu que estou dizendo isso, os fatos e os números falam por si só.

Ainda tenho a convicção de que voltaremos em 2010. Temos tempo ainda, mas não pode ficar para depois. É importante uma mudança enérgica de postura por parte de todos. É a hora de agitar tudo o que está querendo ficar em repouso. É preciso atitude. A torcida começou a se mexer há muito tempo. A hora de acordar é agora, antes que seja tarde demais.

2 comentários:

xdaquestão disse...

As chances do Figueira são minimas, aco que tem 20% de acesso, 40% permanecer e 40% para cair os calculas são simples, para o acesso temos que vencer 11 jogos e empatar 1 partida isto para ter 64 pontos, com um time deste e um tecnico deste incompetencia, que perdeu o time esta terrivel com este treineiro não chegaremos, com este preparador fisico dificil livrar-se das contosões, com este planejamento horrivel e complicado pior ainda, vejam, o jogador Ricardinho esta fora do grupo, mais que produz mais que estes dois produz. cito isto para mostrar as incoerencia dentro do Depto de Futebol, um tecnico que escala um zagueiro na lateral, e nem coloca um lateral de oficio no banco, quer o que, ? a unica coisa que nosso tecnico tem é uma boa conversa, nunca foi jogador, não conhece o rolar da bola,

Anônimo disse...

No atual momento, de grupo, treinamento, preparação fisica, esquema tatico, condições psicologica, engajamento da torcida, etc...,hoje nos so temos o estadio e historia para o Returno, é serio o Figueira não chega no G4, so se acontecer um fato novo urgente, um fato que mexa com a torcida e com os jogadores, para termos umas 3 vitorias e neste interin formar o grupo.